(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({ google_ad_client: "ca-pub-9238853027404359", enable_page_level_ads: true }); Brasil cumpre meta de vacinação contra o sarampo, mas situação ainda é preocupante - Bahia Noticias Extremo Sul
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({ google_ad_client: "ca-pub-9238853027404359", enable_page_level_ads: true });

Brasil cumpre meta de vacinação contra o sarampo, mas situação ainda é preocupante

Ministério da Saúde anunciou, nesta terça-feira (29), que o Brasil bateu a meta de vacinação de sarampo de 2019. De acordo com a pasta, 14 estados brasileiros atingiram os percentuais de cobertura vacinal estipulados no início da campanha. Outros 12 estados e o Distrito Federal, no entanto, não conseguiram.

Entre os estados que atingiram a meta está São Paulo, que registra cerca de 90% dos casos da doença no país e 13 das 14 mortes. A outra morte ocorreu em Pernambuco.

De acordo com o secretário de vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, o avanço da doença preocupa na região. Segundo ele, Rio de Janeiro, Bahia e Paraná também requerem maior atenção. “Estão tendo casos principalmente em adultos jovens. Essa população, entrando agora Natal, Carnaval, Ano Novo, vai se mobilizar bastante no Brasil e pode ampliar bastante a transmissão”, explicou.

19 estados ainda apresentam transmissão ativa de sarampo. Para incentivar a vacinação, o Ministério da Saúde disponibilizou uma lista aos municípios por meio da plataforma e-Gestor, que indica o nome das crianças que não receberam todas as doses da vacina.

Há cerca de duas semanas, a pasta se comprometeu com um repasse federal para incentivar os municípios na vacinação e um bônus para aqueles que cumprissem a meta. No total, os pagamentos somam R$ 206 milhões.

Do dia 18 ao dia 30 de novembro, acontece a campanha de vacinação para pessoas entre 20 e 29 anos. Nos últimos 3 meses, foram confirmados cerca de 5660 casos de sarampo no Brasil. Esse é o segundo surto da doença só em 2019.

No começo do ano, o país registrou uma série de casos que, de acordo com o Ministério da Saúde, tinham origem em imigrantes venezuelanos. A suspeita agora é de que os novos casos tenham se espalhado a partir de imigrantes noruegueses e israelenses.

*Com informações do repórter Renan Porto