Maia diz que votação do relatório da Previdência deve acontecer até dia 27

O presidente da Câmara dos DeputadosRodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (24) que a comissão especial da reforma da Previdência deverá votar o parecer do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) até a próxima quinta-feira (27). Depois disso, a expectativa é que o plenário analise a proposta nas duas primeiras semanas de julho.

A comissão especial deve encerrar a discussão sobre o relatório nesta terça (25) e a expectativa é que a votação comece já na quarta (26) e termine apenas no dia seguinte, já que Moreira deverá apresentar alterações em seu relatório.

Um dos pontos ainda em discussão é o da inclusão dos estados e municípios no texto da nova Previdência. Eles acabaram ficando de fora do texto apresentado pelo relator por falta de apoio suficiente dentre os deputados, mas Maia afirmou que gostaria de reincluí-los na proposta.

“Gostaria muito de ter o apoio de todos os governadores porque o Brasil vive um momento muito importante e o fortalecimento da relação do parlamento com a federação é fundamental nesse momento. Ter apoio de prefeitos e governadores é demonstração de maturidade de todos os lados, de todos os partidos. … Se a gente conseguisse essa grande pactuação da federação com o Congresso, seria um momento histórico”, disse Maia em seu podcast,  “Resenha com Rodrigo”, que deve ir ao ar todas as segundas-feiras nas redes sociais do deputado a partir de hoje.

Reforma Tributária

Maia também informou que instalará a comissão especial para analisar a reforma tributáriaaté o fim da semana. Segundo ele, o líder da maioria na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), é o preferido para relatar o projeto. Em seu terceiro mandato na Casa e ex-ministro do governo de Dilma Rousseff, Ribeiro é considerado um quadro experiente e com bom trânsito entre os partidos de oposição, além de ser um dos principais líderes do bloco informal chamado Centrão. Esse perfil daria a ele resistência para evitar pressões e não modificar tanto o projeto que já está em tramitação.

*Com Estadão Conteúdo