Médicos pelo Brasil, o novo Mais Médicos, será lançado nesta semana e deve reincluir profissionais cubanos

O governo federal vai lançar, nesta semana, o programa que vai reestruturar o Mais Médicos. O projeto, conhecido como Médicos pelo Brasil, é uma reformulação do antecessor e funcionará como uma espécie de plano de carreira para atrair profissionais brasileiros para as regiões mais pobres e afastadas do país.

Segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o programa é praticamente todo voltado para o que vem sendo chamado de Brasil profundo”, que são as cidades mais vulneráveis e que menos atraem profissionais. A medida deve reincorporar, também, alguns médicos cubanos. Cerca de 2 mil profissionais ficaram sem trabalho e permanecem no Brasil, sem poder atuar, depois da saída de Cuba do programa.

Ao confirmar que o lançamento ocorreria esta semana, Mandetta lembrou que no interior, muitas vezes, a informação não chega de forma adequada, mesmo que seja básica, como a importância de se usar capacete ou o mal que faz o cigarro. Por isso, o foco principal do programa Médicos pelo Brasil será justamente na atenção primária, que é a prioridade do governo em relação a saúde.

Desde o início do ano, alguns passos comprovam essa teoria e já foram dados nesse setor. Em maio, foi lançado o programa Saúde na Hora, que amplia o repasse mensal de recursos para os municípios que aumentarem o horário de funcionamento das unidades de saúde. Já em julho, o Ministério da Saúde credenciou o funcionamento de quase dez mil equipes e serviços de atenção primária no âmbito da expansão da cobertura da estratégia-saúde da família, outro programa do governo voltado para a área básica.

A data de lançamento ainda depende da agenda do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para ser marcada, mas Mandetta já confirmou que ocorrerá ainda nesta semana.

*Com informações do repórter Antonio Maldonado