ONU vai investir R$ 7 milhões no Criança Feliz

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, se reuniu, na segunda-feira (26), em Brasília, com o coordenador-residente do Sistema Nações Unidas no Brasil, Niky Fabiancic, para discutir como serão investidos os R$ 7 milhões que foram doados ao Programa Criança Feliz. O Ministério da Cidadania concorreu com projetos de outros 130 países.

Fabiancic ressaltou a importância de se alinhar o investimento, que deve ser feito a partir de janeiro do ano que vem, com as principais necessidades do Criança Feliz. Considerado o maior programa do mundo de atendimento domiciliar voltado à primeira infância, o Criança Feliz é coordenado pelo Ministério da Cidadania e promove o desenvolvimento adequado a crianças, integrando ações nas áreas de saúde, assistência social, educação, justiça, cultura e direitos humanos.

Cuidados

De acordo com a neurociência, práticas simples, como a troca de olhares entre mãe e bebê, a cantiga antes de dormir e a brincadeira de bater palmas contribuem para o desenvolvimento pleno das crianças. Em visitas semanais, técnicos capacitados orientam sobre o desenvolvimento das crianças de até três anos que recebem o Bolsa Família, e de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), gestantes também são beneficiadas.

Até o momento, o Criança Feliz já atendeu cerca de 730 mil pessoas em 2.618 municípios.

Referência mundial

O Criança Feliz é finalista do prêmio WISE Awards, da Fundação Qatar, que o colocou entre as iniciativas mais inovadoras do mundo. O Programa concorre com a Inglaterra, França, Estados Unidos e a China. O resultado da premiação está prevista para ocorrer em novembro, durante a reunião da Cúpula Mundial de Inovação para a Educação, em Doha, no Catar. Além das oportunidades de promoção e criação de redes de trabalho, cada iniciativa vitoriosa vai receber U$ 20 mil.

WISE Awards

Todos os anos, a premiação da Cúpula Mundial de Inovação para a Educação reconhece e promove projetos inovadores e de sucesso que abordam desafios mundiais na área. Desde 2009, a WISE já recebeu mais de 3.600 inscrições, de 150 países.

Fonte: Ministério da Cidadania/Foto: Mauro Vieira / Ministério da Cidadania