Paulo Guedes se encontra com senadores baianos para discutir subsídio à Ford

O ministro da Economia, Paulo Guedes, recebe na noite desta quarta-feira (13) um grupo de senadores para discutir a suposta ameaça de retaliação do governo federal à Ford por causa do fechamento de sua fábrica em São Bernardo do Campo, em São Paulo. Devem participar do encontro os senadores Otto Alencar (PSD-BA), Jaques Wagner (PT-BA), Omar Aziz (PSD-AM) e Fernando Bezerra Coelho (MDB- PE), além do vice-governador da Bahia, João Leão (PP).

A reunião foi marcada por Bezerra Coelho, que chegou a falar com Guedes por telefone. Na conversa, o ministro teria sinalizado que concorda com os senadores de que as situações das fábricas da Ford em São Bernardo do Campo e Camaçari, na Bahia, são distintas.

Na última quinta-feira (7), o secretário de Produtividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, cobrou da montadora um plano detalhado de mitigação do impacto da decisão de fechar a unidade paulista. Ele argumentou que a empresa deve isso à sociedade por ter recebido R$ 7,5 milhões em subsídios nos últimos cinco anos, conforme revelou a Folha de S.Paulo.

A questão é que a fábrica de São Bernardo do Campo (SP) atualmente não dispõe de subsídios federais. Os benefícios tributários para a Ford estão concentrados na unidade de Camaçari (BA). Na Bahia, existe um regime regional de redução de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

Para o senador Otto Alencar, a Ford não tem obrigação de custear nenhum plano de contrapartida a desativação da fábrica no município paulista por causa dos subsídios que recebe na Bahia.

“Caso contrário estarão tirando recursos de um Estado pobre da federação para dar ao mais rico. Não faz nenhum sentido. Além disso, os maiores incentivos para atrair a montadora para Camaçari foram estaduais”, disse Alencar.

Também nesta quarta-feira (13) à tarde, os 39 deputados federais e 3 senadores da Bahia se reúnem para tratar do assunto. Desde a reportagem publicada pela Folha de S.Paulo, a bancada baiana está alarmada.

No dia seguinte à reunião com a montadora e representantes da prefeitura de São Bernardo do Campo (SP), Costa confirmou em entrevista que espera da Ford uma atitude socialmente responsável por conta dos subsídios que já recebeu. Ele, no entanto, negou que tenha vinculado as fábricas de São Bernardo do Campo (SP) e Camaçari (BA).

Fonte BN

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.