(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({ google_ad_client: "ca-pub-9238853027404359", enable_page_level_ads: true }); Senadora de MT conhecida como 'Moro de saias' deixa o PSL e se filia ao Podemos: 'Chega da velha política' - Bahia Noticias Extremo Sul
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({ google_ad_client: "ca-pub-9238853027404359", enable_page_level_ads: true });

Senadora de MT conhecida como ‘Moro de saias’ deixa o PSL e se filia ao Podemos: ‘Chega da velha política’

Depois de atritos com o senador e filho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, a senadora Selma Arruda deixou o PSL e se filiou ao Podemos, nessa quarta-feira (18), em Brasília. A cerimônia filiação foi em frente ao prédio do Senado.

Ela se emocionou ao falar sobre o atual momento político vivido por ela.

“Estou enfrentando dificuldades por conta de defender as suas convicções e aquilo que é correto para o Brasil. Chega da velha política, das oligarquias, de clãs mandando nesse país”, declarou.

No início da semana, Selma se manifestou na rede social dela que estava saindo por causa de um desentendimento com Flávio Bolsonaro, que estaria exigindo a retirada da assinatura dela do requerimento para a abertura da CPI da Lava Toga, a fim de investigar membros do Judiciário.

“Saí do PSL por causa de um desentendimento com o senador Flávio Bolsonaro, não apenas pelo fato dele querer que eu retirasse a assinatura, mas pela forma indelicada e desrespeitosa com que ele me tratou”, disse.

No entanto, durante a cerimônia de filiação, nessa quarta-feira, ela disse que esse foi um dos motivos.

“O desentendimento é um dos fatores que me traz ao Podemos, mas a qualidade da bancada e o fato de que nessa bancada poderei agir com mais liberdade”, disse.

Cassação

Selma Arruda enfrenta um processo de cassação. Em abril deste ano, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) cassou o mandato da senadora por caixa 2 e abuso de poder econômico. Selma Arruda recorreu, e o TRE decidiu manter a cassação. A senadora nega as acusações e recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No dia 10 deste mês, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ao TSE um parecer no qual se manifestou favoravelmente à cassação do mandato da senadora.

Fonte G1